Escola não é lugar para o medo

O uso de fotografias de smartphones em sala de aula e na internet

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23882/MJ2037

Palavras-chave:

fotografia, sala de aula, tecnologias da informação

Resumo

A nossa discussão, neste texto, gira em torno de algumas sugestões relacionadas ao resultado da presença de algumas das novas tecnologias da informação em sala de aula, principalmente quando se trata do uso de fotografias digitais feitas por estudantes a partir de smartphones. Partimos da hipótese de que uma parte da rede de ensino em todos os níveis, ainda não percebeu que pode, sim, auxiliar as crianças, adolescentes e jovens adultos a lidar com as novas tecnologias mesmo que, às vezes, alguns dos nossos estudantes pareçam saber manusear com mais desenvoltura do que nós, professores, alguns dos gadgets de acesso à internet. Defendemos que a participação dos professores é algo necessário e essencial, principalmente na orientação aos estudantes dos aspectos éticos do uso de fotografias na sala de aula e na internet.

Referências

Baudrillard, J. (1996). As estratégias fatais. Trad. Ana Maria Scherer. Rio de Janeiro: Rocco.

Bauman, Z. (2008). Medo líquido. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

BBC Brasil (2019). Aposentados na cadeia: os idosos japoneses que se esforçam para serem presos. BBC News Brasil. Retrieved from https://www.bbc.com/portuguese/geral-47086935

Castells, M. (2005). A Sociedade em Rede: do Conhecimento à Política. In M. Castells & G. Cardoso (Orgs.). A Sociedade em Rede - Do Conhecimento à Acção Política (pp. 17-30). Imprensa Nacional - Casa da Moeda.

Fernandes, S. D. M. (2011). Descobrir a identidade usando a fotografia: Investigação-acção numa turma do 5° ano (Dissertação de mestrado). Instituto Politécnico de Viana do Castelo: Portugal. Retrieved from http://hdl.handle.net/20.500.11960/1536

Freund, G. (1995). Fotografia e sociedade. Trad. Pedro Miguel Frade. Lisboa: Vega.

Gómez, I.A.G., & López, P.M. (2014). Infancia y medios de comunicación: de los riegos a la apropiación creativa. In A.S.J. Hernandez, & R. Kohli (dir.). Infancia en contextos de riesgos: XXV Años de la Convención sobre los Derechos Del Niño (pp. 203-209). Granada: Editorial GEU.

Sakamoto, L. (2016). O que aprendi sendo xingado na internet. São Paulo: LeYa.

Publicado

2020-11-08

Como Citar

d’Abadia de Sousa, F., & Sousa, C. S. . (2020). Escola não é lugar para o medo: O uso de fotografias de smartphones em sala de aula e na internet. RevistaMultidisciplinar, 2(2), 53–61. https://doi.org/10.23882/MJ2037